Copy
Não conseguiu ver o conteúdo? Clique aqui e veja no navegador.
Boas notas

Notícias com educação
Abril de 2020 | 2ª edição


Lição para a vida toda
 
2020, o ano que foi atropelado pelo novo coronavírus. Ou o ano letivo que foi interrompido pela pandemia e deve marcar a reinvenção da educação. Quase todos concordam que nada é e será como antes. Vai passar, acreditamos. Para especialistas, é preciso redobrar as atenções com a inteligência emocional das crianças. Também é importante reforçar laços familiares e de amizades, mesmo distantes, em casa, para a saúde de todos. A educação a distância (EAD), antes quase restrita ao ensino superior, cresce no Brasil, mas não é tudo. É preciso criatividade e ânimo para solucionar o grande problema.
Mais que economia
 
As mudanças da pandemia global atingem cada um localmente. Não há remédio nem solução que serve para todos da mesma forma. Os economistas concordam que o importante é salvar vidas e, depois, a economia. Equação complicada e necessária, quando quase todos têm seus recursos reduzidos. Para as escolas, desafio redobrado: mostrar importância mesmo fechadas. As particulares partem para acordos individuais com os responsáveis, enquanto se esforçam para levar ensino de qualidade aos jovens. Muitos pais pedem cortes de 30% nas mensalidades, esquecendo que isso pode atingir os salários dos professores e a própria escola. Nas públicas, estados e prefeituras se preocupam com o básico: garantir que merenda, ou valor dela, chegue nas casas das famílias. Como ensinou Betinho, quem tem fome tem pressa.
Apoio para secretarias
O Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) se articulou com vários parceiros para apoiar o ensino público nessa crise. O CIEB lançou a ferramenta para apoio a gestores públicos com a “Seleção de Estratégias de Aprendizagem Remota”,  e as estratégias de aprendizagem remota para os órgãos. E divulgou a nova edição do “Mapeamento Edtech 2019 – Investigação sobre as startups de tecnologia educacional no Brasil”, em parceria com a Associação Brasileira de Startups, e a pesquisa “Planejamento das Secretarias de Educação do Brasil para ensino remoto”. Ela foi feita em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes de Educação (Undime) e a Fundação Lemann.

Um podcast enfoca esses temas, reunindo Vitor de Angelo, secretário de educação do Espírito Santo, e Lúcia Dellagnelo, diretora-presidente do CIEB, com apresentação de Vinícius de Oliveira, editor do Porvir. Está disponível no Spotify, Deezer e Spreaker.
 
O webinário “A educação frente à pandemia” também é elucidativo. A conversa foi promovida pelo Todos Pela Educação, Banco Mundial e o Conselho Nacional de Educação (CNE). Acesse aqui.
Aldeia da tribo dos professores
No meio do deserto atual há um oásis, ou melhor, uma aldeia. Ela fica no bairro niteroiense de São Francisco, conhecido por ter ruas com nomes indígenas. Com oito eixos de atuação, o Instituto Aldeia se define com um hub de educação, “que ajuda pessoas e instituições a encontrarem, no âmbito local, serviços, profissionais e projetos educacionais complementares para seus interesses de aprendizagem e participação ativa na sociedade, ao longo da vida”. À frente da iniciativa criada em 2018 está Juliana Lima de Souza, pedagoga formada pela UFF, com passagem pelo Canal Futura, e que prefere ser conhecida como articuladora social para educação. “Somos um espaço colaborativo com foco na comunidade”, explica. Vale conhecer e se juntar à tribo, quando as portas reabrirem ou on-line.
A frase: “O professor pode propor que os alunos façam um prato e escrever a receita. Dessa forma estamos fazendo física, química, literatura e é possível montar um livro virtual de receitas. Outra coisa que me parece importante é que as crianças façam vídeos de sua experiência em casa. A outra, evidentemente, é a leitura. A escola não conseguir com que as crianças amem a leitura é um grande peso. A escola deveria se preocupar mais, dar aos seus alunos o gosto de ler.” Francesco Tonucci, psicopedagogo italiano, sobre quarentena, em entrevista ao jornal espanhol El País. Ele também é chargista e assina como Frato, em desenhos bacanas como esse.



O artigo: 
Nossa sugestão de leitura é “Pandemia de coronavírus é um teste de nossos sistemas, valores e humanidade”. Assinado por Michelle Bachelet, alta-comissária da ONU para direitos humanos, e Filippo Grandi, alto-comissário da ONU para refugiados, o artigo foi publicado no site do jornal britânico The Telegraph.

Os livros: "A droga da Amizade", de  Pedro Bandeira, e "Mar de tinta e ouro - a leitora", de Traci Chee, são as sugestões infantojuvenis da professora Thais Lyrio. Ela atua na biblioteca do Colégio Miraflores - Niterói.

A boa: Sobram dicas na quarentena on-line. A Scuola di Cultura promove a sua “Quaranta di cultura”, no Instagram. Tem debate literário e filosófico, abordando “Ensaio sobre a cegueira”, de José Saramago, com os professores Silvério Ortiz e Karla Faria, no @scuoladicultura.

No Instagram, @silverioortiz.filosofantes também fala ao vivo nas sextas-feiras em "Quarentena Filosófica".

Como andam os afetos nos dias de isolamento? Essa é uma das reflexões propostas por Ricardo Tammela, coordenador de Extensão da FMP/Fase, e o filósofo e professor Nilton dos Anjos, na série de lives do @fmpfaseoficial.

Para as empreendedoras, as editoras Oficina Raquel e Jaguatirica têm o “Café das Mulheres”, com conversas para quem precisa se reinventar em casa.

O Oi Futuro disponibilizou vários vídeos de espetáculos de sucesso (infantis e adultos) que passaram por seu palco nos últimos anos. São atrações para toda família!
Produzido por Auracom Comunicação Integrada
Aura Pinheiro, Maria Cristina Mello e Renato Guima
Informações e sugestões:
aura@auracom.com.br/WhatsApp: (21) 98778-1316 - (21) 99260-0910

 
Facebook
Email
Instagram
Copyright © 2020, All rights reserved.

Quer mudar a forma de receber estes e-mails?
Você pode editar suas preferências ou se retirar da lista.