Laboratório de Antropologia e História convida:

Colóquios 
Antropologias Modernas/Modernistas: document(o)s 
 
Fernanda Arêas Peixoto (DA – Universidade de São Paulo)
O olho do etnógrafo e o arquivo do escritor:
Leiris e Bataille em ‘Documents'

 
Mediação: Amir Geiger (PPGMS/UNIRIO)

25 de Agosto | Quinta-feira | 9:30h | PPGAS | Museu Nacional | Sala Lygia Sigaud

 
Resumo:
Trata-se de recuperar a experiência da revista Documents (1929-1930) por meio de dois de seus colaboradores: Michel Leiris, poeta em processo de conversão à antropologia e Georges Bataille, escritor e principal idealizador da publicação. Com a ajuda de alguns dos textos que produziram para a publicação, e do ‘dicionário’ que a integra (projetado por Bataille) - que evidenciam trânsitos e transferências entre saberes, além de procedimentos e perspectivas inéditas - é possível retirar uma série de sugestões, por exemplo, sobre as relações entre arte e ciência, e entre colecionismo e criação.
A consideração desses casos (Documents, Bataille, Leiris...) no interior de uma cena já bem mapeada permite, ainda, relermos as relações entre surrealismo e antropologia e requalificarmos, quem sabe, o “primitivismo” do começo do século XX, retirando o termo da vala comum onde ele tendeu a ser depositado (frequentemente associado aos exotismos e à falta de compreensão do “outro”, em função de clichês e lugares comuns). Afinal, não é possível deixar de notar como o encantamento dos artistas em geral, e dos surrealistas em particular, em relação aos “primitivos” vem acompanhado de reflexões e práticas carregadas de sugestões para a reflexão atual, tanto no campo das artes como no da antropologia.
 


 
 
.