Copy
Visualizar no navegador
ISSN 2318-1958

Número 27, 10 de Maio/2016

Cresce a adoção do inglês entre os periódicos SciELO do Brasil

A adoção do inglês é um dos avanços que o SciELO vem promovendo com o objetivo de aumentar a inserção, visibilidade e impacto internacional dos periódicos e das pesquisas que comunicam. Nos últimos anos a adoção do inglês vem crescendo sistematicamente entre os periódicos SciELO que a partir de 2014 alcançaram o marco histórico de publicar mais em inglês que em português. A expectativa do SciELO é que nos próximos 2 a 3 anos 75% dos artigos serão publicados em inglês e 40 a 50% em português. [Leia mais]

Destaques

SciELO nos principais serviços de pesquisa bibliográfica
Todos os artigos de periódicos e eBooks SciELO são agora cobertos pelos principais Serviços de Pesquisa internacionais que servem para localizar e fornecer acesso à informação científica, além de oferecer às bibliotecas acadêmicas as ferramentas necessárias para suas comunidades acadêmicas, de pesquisa e de estudantes. Os Serviços de Pesquisa tem um foco específico em materiais identificados como relevantes para as comunidades acadêmicas, de pesquisa, de educação e aprendizagem. Este avanço irá contribuir para aumentar a visibilidade e a interoperabilidade dos conteúdos indexados do SciELO. [Leia mais]
Saiu no NY Times: Biólogos se rebelam e publicam diretamente na Internet
A conferência ASAP Bio ocorrida em fevereiro no Howard Hughes Medical Institute, nos EUA, reuniu pesquisadores da área de biomedicina para debater novas formas de comunicar resultados de pesquisa utilizando preprints e revisão por pares pós-publicação. Cientistas renomados, entre eles vários agraciados com o Nobel, passaram a depositar seus artigos em repositórios de preprints de acesso aberto antes de proceder com a publicação formal em periódicos. O tema mereceu na semana passada a atenção do jornal The New York Times. [Leia mais]
Reprodutibilidade em resultados de pesquisa: os desafios da atribuição de confiabilidade
Recentemente projetos foram desenvolvidos com o objetivo de reproduzir resultados publicados de pesquisa nas áreas de psicologia, biologia e economia para verificar sua confiabilidade. Os resultados indicaram diferentes graus de reprodutibilidade em cada área, porém serviram para alertar a comunidade científica sobre o quão frágil podem ser resultados considerados irrefutáveis e refletir sobre o papel da ciência em se autocorrigir. [Leia mais]
Sobre os riscos do SciHub e dos periódicos híbridos
Mudanças e desenvolvimentos na forma como as coisas são feitas às vezes são vistas como ameaças, como riscos. Esta é talvez uma reação natural, instintiva, porém, às vezes, o risco não está no próprio desenvolvimento, mas naquilo que o desenvolvimento em questão impede. Há dois desenvolvimentos em publicação e comunicação científica vistos por muitos como perigosos. Ambos são tidos como ameaçadores por lados opostos da cerca, por assim dizer. [Leia mais]
Princípios reitores FAIR publicados em periódico do Nature Publishing Group
Os princípios FAIR fornecem em um alto nível de abstração um conjunto preciso e mensurável de qualidades para a publicação e reuso de dados de pesquisa científica – encontráveis, acessíveis, interoperáveis e reutilizáveis (do inglês FAIR – Findable, Accessible, Interoperable, and Reusable). Estes princípios abordam a demanda crescente de gestão rigorosa de dados aplicáveis, tanto aos usuários humanos quanto aos computacionais, que em breve se tornará uma atividade central nos projetos de pesquisa contemporâneos em ambientes de Ciência Aberta (Open Science). [Leia mais]
Share
Tweet
+1
Forward to Friend
 

Licença Creative Commons

O conteúdo dessa newsletter utiliza uma Licença de Atribuição Creative Commons.