Copy
Visualizar no navegador
ISSN 2318-1958

Número 40, 18 de Setembro/2018

Aos 20 Anos, a Rede SciELO atualiza prioridades e avança para a ciência aberta

Os 20 Anos do SciELO marcam a passagem para um novo período de desenvolvimento do programa, da rede de 16 coleções nacionais e principalmente dos periódicos, que será caracterizado pela adoção progressiva das boas práticas de comunicação da ciência aberta, que preconiza a rapidez e transparência nos processos de avaliação e comunicação das pesquisas e a abertura dos conteúdos subjacentes aos artigos em prol do seu reuso e da reprodutibilidade dos resultados. A atualização das linhas prioritárias de ação contribuirá para a atualização das políticas de indexação das coleções e das políticas editoriais dos periódicos. [Leia mais]

Destaques

Em direção ao acesso aberto universal? Por que precisamos de bibliodiversidade em vez de uma “bala de prata”
O atual debate sobre o acesso aberto é muitas vezes baseado em generalizações indevidas que defendem modelos “bala de prata” para inverter globalmente o sistema de comunicação científica. Esta abordagem é falha, pois não leva em conta a diversidade de práticas de comunicação entre as diferentes disciplinas e países. [Leia mais]
Competitividade e Acesso Aberto de periódicos em um país de língua não inglesa
J-STAGE é uma plataforma de periódicos no qual as sociedades acadêmicas japonesas podem publicar seus periódicos. Embora mais de 80% deles sejam de livre acesso, a maioria deles não afirma ser de acesso aberto. Algumas barreiras à publicação de acesso aberto são descritas com base em nossa experiência obtida através de conversas com as sociedades. [Leia mais]
Série de entrevistas com o Presidente e ex-presidentes da ABEC: Entrevista com Rui Seabra Ferreira Jr.
A Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC) e o SciELO têm papéis fundamentais na promoção de políticas que visem o avanço da ciência brasileira, no que tange a produção, divulgação e internacionalização, além de sempre trazer a discussão da ética e das boas práticas, objetivando fomentar todo o ecossistema editorial brasileiro, ou seja, do pesquisador/autor passando pelas prestadoras de serviços, até a sua publicação. [Leia mais]
O artigo e os periódicos científicos têm futuro?
A comunicação científica tem sofrido grandes transformações nas últimas duas décadas, sobretudo em função da popularização de novas tecnologias de informação, que impõem um novo regime de tempo e de velocidade na editoração científica. Porém, estas mudanças não são apenas respostas aos avanços tecnológicos. Trata-se de questões mais complexas relacionadas à reconfiguração do trabalho acadêmico e mudanças sobre o paradigma da comunicação e as dificuldades e desafios enfrentados pelos editores e pesquisadores sobre a gestão do tempo. [Leia mais]
SciELO, Open Infrastructure and Independence
SciELO has been a shining example of how a publicly supported infrastructure could bolster scholarship and knowledge as public goods. However, its increasingly focus on “professionalization” and “internationalization” may serve to reduce the intellectual and linguistic heterogeneity of the region, while subjecting the evaluation of quality to “standards” largely set by multinational corporations that are far more interested in profit extraction than in local development. [Leia mais]
The Local and the Global: Puncturing the myth of the “international” journal
What are journals for? In one view they are a brand, a masthead that stands as a widely recognized proxy for some notion of quality assurance or interest. An alternate view is that they are communities, even “clubs” as we have explored in one article. The first of these views privileges the concept of “international” journals and an assumption that general interest implies better work. The second focuses attention on local needs and interests. Here the question is different, how well does a specific journal serve a specific community. [Leia mais]
Todos os periódicos devem ter uma política que defina a autoria – aqui está o que incluir [Publicado originalmente no blog LSE Impact of Social Sciences em Janeiro/2018]
Artigos de pesquisa científica com grande número de autores tornaram-se mais comuns, aumentando a probabilidade de disputas de autoria. Danielle Padula, Theresa Somerville e Ben Mudrak enfatizam a importância de os periódicos definirem e comunicarem claramente os critérios de autoria aos pesquisadores. Além de ter uma política de inclusão, os periódicos também devem indicar práticas antiéticas de autoria, esclarecer a ordem dos autores em um estágio inicial, considerar o reconhecimento de contribuição e encaminhar quaisquer disputas que surjam para as instituições dos autores. [Leia mais]
Produção e impacto da pesquisa brasileira: confrontando contextos internacional e nacional
A pesquisa científica brasileira, vista através de seus artigos e de seu impacto revela um cenário que há 30 anos atrás não se poderia descrever. O SciELO concretiza o que Garfield vislumbrou para a América Latina na década de 90, permitindo delinear o fluxo de citações como em muitos países ainda não se viu até o momento, e permitindo questionar a pertinência da expressão de Gibbs: “lost science in the third world”. [Leia mais]
Share
Tweet
+1
Forward to Friend
 

Licença Creative Commons

Todo o conteúdo dessa newsletter, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença de Atribuição Creative Commons.

https://mailchi.mp/scielo/scielo-lana-nova-interface-de-operao-das-colees-731329?e=[UNIQID] Você está recebendo essa mensagem por estar cadastrado na nossa newsletter.

SciELO - Scientific Electronic Library Online
Avenida Onze de Junho, 269
São Paulo, São Paulo 04041-050
Brazil

Add us to your address book


cancelar sua inscrição nessa newsletter  |  atualizar seu cadastro