Copy
Newsletter da Associação R3 Animal - Edição 2 - Fevereiro 2020

Editorial 

Olá, pessoal!

Nesta segunda edição da Newsletter, vamos mostrar um pouco como foi o II Curso de Reabilitação de Animais Marinhos ministrado pela R3 Animal. 

Outro destaque, foi a participação da equipe da R3 Animal no desencalhe e necropsia de uma baleia-bicuda-de-Cuvier (Ziphius cavirostris), na praia da Guarda do Embaú. O cetáceo de águas profundas é de rara aparição na costa. 

Também vamos mostrar como diferenciar as fragatas (Fregata magnificens) entre macho e fêmea e juvenis de adultos. 

Por fim, tem a atualização do estado de saúde do pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus), que está sendo tratado com curativo a base de hidrocoloide (pele sintética). Ele fez a muda das penas e já está com plumagem de adulto. 

Esperamos que vocês gostem das nossas notícias de fevereiro e apreciem a leitura. 

Até a próxima! 

Segunda edição do curso de reabilitação foi um sucesso

Profissionais e estudantes das áreas de biologia, veterinária, oceanografia, zootecnia participaram do II Curso de Reabilitação de Animais Marinhos, ministrado pela R3 Animal, no Centro de Pesquisa, Reabilitação de Animais Marinhos (CePRAM). Foram dois dias, 15 e 16 de fevereiro,  explorando técnicas de manejo, cuidados veterinários, procedimentos laboratoriais e despetrolização de animais marinhos.


O primeiro dia foi teórico. As veterinárias da R3 Animal, Janaína Rocha Lorenço e Marzia Antonelli, além da presidente Dra. Cristiane Kolesnikovas ministraram palestras sobre a reabilitação de aves e mamíferos marinhos. A palestra sobre reabilitação de tartarugas marinhas foi ministrada pela veterinária Daphne Wrobel. 

O segundo dia foi prático. Os vinte participantes tiveram a oportunidade de vivenciar o dia a dia do CePRAM no laboratório e demais setores. A novidade deste segundo curso foi a inclusão da despetrolização. O veterinário Sandro Sandri foi o responsável por ministrar a aula prática simulando animais oleados. 


Abaixo, você pode conferir algumas fotos do evento. 

R3 Animal participa de ação de desencalhe e necropsia de cetáceo raro

A R3 Animal participou da ação de desencalhe e necropsia da baleia-bicuda-de-Cuvier (Ziphius cavirostris), que encalhou morta no dia 13 de fevereiro, na Guarda do Embaú, entre Paulo Lopes e Palhoça – SC. O resultado da necropsia, porém, foi inconclusivo, até o momento.

De acordo com a médica veterinária que coordenou a necropsia, Cristiane Kolesnikovas, presidente da R3 Animal, o cetáceo não apresentava lesões significativas que pudessem indicar o motivo do encalhe ou da morte. “Foram coletadas amostras do animal para a realização de exames complementares que poderão elucidar a causa da morte”, explica Cristiane Kolesnikovas. 

O animal foi encontrado pelo Instituto Australis durante o monitoramento diário de praias. Como o encalhe ocorreu dentro da Área de Proteção Ambiental da Baleia-Franca/ICMBio, o Protocolo de Encalhes da APA da Baleia-Franca foi acionado. 

A matéria completa você pode ler aqui

Equipe da R3 Animal prestes a iniciar a necropsia, coordenada pela veterinária Cristiane Kolesnikovas - Foto | Instituto Australis 
Aprenda a diferenciar o sexo das fragatas 
Fragata macho reabilitada pela R3 Animal. Detalhe para o saco gular
Fragata fêmea reabilitada pela R3 Animal. Detalhe para o peito branco
Fragata juvenil reabilitada pela R3 Animal. Detalhe para a cabeça branca
Uma das aves marinhas bastante comum em resgates pela R3 Animal e demais instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é a fragata (Fregata magnificens). Hoje nós vamos mostrar como diferenciar as fêmeas dos machos e também os juvenis dos adultos. 
 
Os machos são pretos e possuem um saco gular vermelho, que infla em épocas reprodutivas para atrair as fêmeas e também quando o animal está estressado. As fêmeas, por sua vez, são maiores que os machos e possuem o peito branco. As aves juvenis possuem a cabeça branca.
 
Conhecidas também como tesourão, pirata-do-mar ou ladrão-do-mar, as fragatas têm o hábito de roubar comida de outras aves. Por não saberem nadar, elas também se alimentam de peixes que sobem à superfície ou peixes voadores que são capturados em voos rasantes.
 
As fragatas medem entre 85 centímetros e 1 metro de comprimento, pesam em torno de 1,5 kg e podem atingir uma envergadura de mais de 2 metros. Considerando essas medidas, a fragata é a ave com maior superfície de asa por unidade de peso. 
Saiba como está o pinguim tratato com pele sintética 

Você lembra do pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) tratado com curativo a base de hidrocoloide (similar a uma pele sintética) para auxiliar a cicatrização de um ferimento? Ele está bem diferente. Além de o ferimento estar quase fechado, ele acabou de fazer a muda das penas e já está com a plumagem de adulto.

Os pinguins-de-Magalhães que chegam às nossas praias todos os anos a partir do início do outono no hemisfério Sul são, em sua maioria, juvenis, estão em seu primeiro ano de vida. Os juvenis possuem uma plumagem acinzentada. Ao se tornarem adultos, eles trocam de penas e a plumagem cinza dá lugar a penas pretas.

Outra característica de uma ave adulta são listras brancas, bem definidas, circundando a lateral da cabeça até o pescoço e outra na região peitoral. Agora, para soltura, falta apenas aguardar a cicatrização completa do ferimento e a muda dos outros pinguins que também estão em reabilitação no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal).

Você pode assistir ao vídeo que publicamos sobre o tratamento deste pinguim com pele sintética aqui.

O Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM) fica localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, unidade de conservação sob responsabilidade do Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC), em parceria com a Polícia Militar Ambiental.

Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341. Sua ajuda é fundamental para salvar vidas!

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo na Bacia de Santos sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O PMP-BS é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. Em Florianópolis, o Trecho 3, o projeto é executado pela R3 Animal.

Encaminhar este e-mail para um amigo
Twitter
Facebook
Link
YouTube

Copyright © 2020 Associação R3 Animal, Todos os direitos reservados.



Nosso endereço é:
Associação R3 Animal
Associação R3 Animal
Rodovia João Gualberto Soares
11000
Florianopolis, Santa Catarina 88060000
Brazil

Add us to your address book

+55 48 30182316

Você pode configurar suas preferências ou cancelar a assinatura a qualquer momento

Email Marketing Powered by Mailchimp